Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Estavam (mais uma vez) à espera de quê?

por Pedro Silva, em 27.06.18

Imagem Crónica RS.jpeg 

Nos últimos tempos tem sido imensas as mensagens de repúdio para com a política seguida pelos Estados Unidos e Itália no que à questão dos imigrantes ilegais/refugiados diz respeito. Nada que não mereça, do meu ponto de vista, todo e qualquer tipo de repúdio, contudo face a tal a única pergunta que se me apraz colocar é esta: Estavam à espera de quê?

 

E coloco tal questão pela simples e manifesta razão de que tanto o Executivo norte-americano como o Executivo italiano foram eleitos pelos respectivos eleitores dos já aqui por demais citados países. O processamento odioso que a Administração Trump tem utilizado na questão dos imigrantes ilegais fazia parte do programa eleitoral que foi a votos nos Estados Unidos da América. Donald venceu as eleições e agora está, tão-somente, a aplicar aquilo que prometeu ao seu Povo que iria fazer. O mesmo tipo de pensamento se aplica ao actual Governo de Itália. Vir para a Praça Pública dizer-se que nenhuma das figuras aqui citadas representam a maioria dos seus eleitores é, no mínimo, caricato pois tal argumento é na base de que as regras do jogo só não servem quando os resultados da governação não agradam.

 

A problemática da imigração ilegal e a da vaga de refugiados que tem aberto – ainda mais – as fendas da União Europeia devem, na ninha opinião, ser vistas de uma forma mais abrangente. Condicionar estes dois problemas (e as respectivas soluções desumanas) aos governantes é não querer ver a questão no seu todo. Até se me atrevo a dizer que tal postura não é mais do que uma mera questão eleitoral. Ao agir de tal forma a oposição aos respectivos Executivos colocam-se numa posição mais confortável no seu papel de oposição e a confrontação política fica mais fácil dado que a postura dos Estados Unidos da América e da Itália nestas questões é (evidentemente) deplorável.

 

Já aqui o disse e não me canso de repetir. A questão da imigração ilegal e dos refugiados tem como base as políticas expansionistas e de exploração irracional que os chamados países desenvolvidos levaram a cabo no passado. É que ninguém é imigrante ilegal porque quer. Tal como ninguém é refugiado porque lhe dá um certo prazer. Os conflitos “plantados” no continente africano, as intervenções militares unilaterais, a moldagem forçada de regimes “democráticos” à moda do ocidente e a imposição à força das ideias do FMI às economias menos desenvolvidas são algumas das vastas razões que explicam (mesmo que parcialmente) as imigrações ilegais e a vaga de refugiados.

 

Para encerrar este assunto aconselho quem me lê a assistir com atenção ao filme “Gangs de Nova Iorque” de Martin Scorsese. Tal vai ajudar a perceber as questões que estão aqui em cima da mesa e a razão pela qual é um absurdo andarmos a discutir a questão sem olharmos ao seu fundo.

 

Artigo publicado no site Repórter Sombra (27/06/2018)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30


Lamentavelmente previsível

por Pedro Silva, em 13.11.15

França. Paris. Mais uma vez uma cidade em estado de sítio por causa do terrorismo.

 

Continuem a fazer de conta que o Estado Islâmico não é um produto do Ocidente e a apoiar os "Rebeldes" da Síria.

 

Continuem a "brincar" aos aviões e a criticar os Russos por terem tentado colocar um fim na Guerra Síria.

 

Continuem a agir como tem agido até aqui.

 

O problema é que "paga o pato" quem não tem nada a ver com isto.

 

E mais não digo... Apenas lamento por termos o Ocidente que temos...

 

Daqui a nada vamos ter os "mesmos de sempre" a culpar os Refugiados por tudo o que está suceder em Paris.

12243314_1015213085212805_5507919135433910337_n.jp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:16


Semana crucial

por Pedro Silva, em 28.09.15

Imagem Crónica Repórter Sombra.png 

1 - Não obstante a questão dos refugiados não ser, agora, capa de jornais nem tema de abertura dos Telejornais esta mantem-se na ordem do dia dado que as guerras não abrandam no Médio Oriente. Por força da Alemanha, e não só, eis que a Europa conseguiu encontrar uma solução para a questão dos refugiados. Não irá haver uma distribuição equitativa destas pessoas por todos os Estados-membros como mandavam as pretensões Germânicas, mas estas serão distribuídos pelos Estados-membros em números acordados entre estes.

 

A medida em si parece razoável na teoria, mas na prática não o é. A ideia que se pretende passar é que não pode ser a Alemanha o único País a acolher milhares de pessoas todos os dias, mas os refugiados que forem encaminhados para Portugal (por exemplo) não vão ficar por cá por muito tempo pois mal sejam também eles cidadãos europeus irão fazer as malas e partir para a Alemanha porque o espaço Schengen lhes permite tal atitude. Ou seja, isto da distribuição de refugiados pelos Estados-membros da União Europeia não passa de mais uma demonstração de que a Alemanha da Sra. Merkel é quem realmente manda na Europa e que quando esta deseja tomar uma medida que agrade aos eleitores Germânicos Bruxelas não “mexe uma palhota” contra tal.

 

Continue a ler o resto do artigo no Repórter Sombra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:24

Imagem Crónica Repórter Sombra.jpg 

1-  Volto à temática dos Refugiados para dar conta da forma como estou assutado com certas posições e declarações de pessoas que tem responsabilidades naquilo que dizem e fazem. E aqui não me refiro aos Políticos pois estes mudam de opinião consoante o vento. Refiro-me antes a certos Jornalistas que supostamente estão a acompanhar o drama dos Refugiados em Budapeste (e arredores) e que acham bem a forma desumana, xenófoba e irracional como as Autoridades Húngaros (e não só) estão a lidar com o problema. Dizem tais Jornalistas que ninguém deve entrar de qualquer forma na Europa e quem diz o contrário ou é estúpido ou é irracional.

 

Custa-me um pouco aceitar que quem defenda o auxílio aos Sírios que fogem de uma Guerra patrocinada pelo Ocidente ache que estes devam entrar de qualquer maneira no espaço Europeu. Nós, defensores da ajuda a quem dela precisa, não somos assim tão estúpidos como certas personagens nos querem fazer parecer.

 

Já pelo contrário estúpidos no pior dos sentidos são aqueles que andam nas Redes Sociais e derivados a espalhar a ideia peregrina de que todos os Sírios são Terroristas disfarçados que e que nos vão exterminar a todos. Pensava eu que a estupidez tinha finado nos anos 40 do século passado, mas pelos vistos esta está viva e continua a fazer das suas.

 

Continue a ler o resto do artigo no Repórter Sombra,

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:31

 

Mais simples do que isto é impossível. Até uma criança de 5 anos fica a perceber que os refugiados são pessoas que buscam auxílio na Europa porque o seu País está reduzido a escombros e a morte é soberana,

 

Se após ter assistido a este vídeo continuar a alimentar conspirações e outras coisas tais das duas uma; ou é burro que nem uma porta ou então não tem o mínimo de Humanidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:36


Mais sobre mim

foto do autor


gatices


gatos no telhado


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Novembro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Futebol Clube do Porto


9 de Março de 1916

<<Por cada soldado, uma papoila

No a l'opressió d'Espanya!


Catalunya lliure!


Portugal é uma Democracia

13769388_930276537084514_2206584325834026150_n

Publicidade




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D