Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Cantinho Calvin & Hobbes (62)

por Pedro Silva, em 29.10.20

calvin&harodotira62.gif

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:55


Maze Runner: A Cura Mortal

por Pedro Silva, em 25.05.18

5070907.jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg

"Maze Runner: The Death Cure"

AcçãoFicção CientíficaThriller - (2018)

Realizador: Wes Ball

Elenco: Dylan O'Brien, Thomas Brodie-Sangster, Ki Hong Lee

 

Sinopse:  Por trás de uma perspectiva cura para o Fulgor, Thomas (Dylan O' Brien) descobrirá um grande plano, executado por Cruel, que poderá trazer decorrências catastróficas para a humanidade. O protagonista, então, decide entregar-se para o Experimento final.

 

Critica: As trilogias têm, quase, sempre um pequeno pecado capital que as enfraquece_ a longa extensão da sua história. Isto salvo nos casos em que estas têm a capacidade de se renovar á medida que a história avança. Ora, este capítulo final de Maze Runner padece deste mesmo mal, o que faz com que o se desfecho, por muito bem trabalhado que esteja, seja previsível e, inclusive, algo aborrecido. Não estou com isto a dizer que a saga no seu todo seja má. Pelo contrário! Esta até que é apetecível embora eu arrisque dizer que a versão em livro seja melhor, mas esta bem que merecia um desfecho final um tudo ou nada diferente. Especialmente se tivermos em linha de conta o “clímax” que Maze Runner consegue alcançar no seu segundo capítulo.

 

O argumento de “Maze Runner: A Cura Mortal” é algo “fraquito” e muito previsível. Acção e emoção têm q-b-, mas a forma como a trama termina deixa muito a desejar. Tudo isto por causa da tal previsibilidade do enredo. Mas a culpa não é exclusiva desta terceira parte da saga. É antes da forma como a história se desenvolveu na sua segunda parte. E é uma pena que assim seja, pois trata-se de uma produção cinematográfica que tem de tudo um pouco para ser muito boa.

 

O elenco é, também ele, muito mediano. Fazem o seu trabalho, é um facto, mas estão longe de ter aquele brilho muito próprio das grandes produções de Hollywood. Em suma; não destoam e não é por culpa do elenco que esta terceira fase de “Maze Runner” é muito satisfatória (a roçar o bom).

 

Já os efeitos especiais, embora um tudo ou nada limitados, são a parte deste filme de Wes Ball que mais gostei. Especialmente os cenários que são pouco variados mas muito bem filmados e devidamente enquadrados á história que se quer contar.

 

Em jeito de conclusão; longe de estar tão bom como o primeiro episódio, “Maze Runner: A Cura Mortal” tem aminha recomendação. Quanto mais não seja pela satisfação de se ter visto a história até ao fim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:22


Tron

por Pedro Silva, em 08.05.18

MV5BMzZhNjYyZDYtZmE4MC00M2RlLTlhOGItZDVkYTVlZTYxOW 

"Tron"

AcçãoAventuraFicção Científica - (1982)

Realizador: Steven Lisberger

Elenco: Jeff Bridges, Bruce Boxleitner, David Warner

 

Sinopse: Flynn invade o computador de seu ex-chefe para provar que foi trapaceado por outro executivo. Acaba entrando na máquina e tornando-se um gladiador computadorizado em um jogo mortal.

 

Critica: Ora quem disse que o que é antigo não é bom? “Tron” do Realizador Steven Lisberger é um bom exemplo disto mesmo. Efectivamente “velhos são os trapos”, um ditado popular que pode muito bem aplicar-se a este “Tron” que não obstante a sua idade é uma produção cinematográfica de excelência que consegue ficar bem á frente de muita da porcaria da era moderna do cinema.

 

O que mais gostei em “Tron” foi do seu argumento. Simples mas muito (mesmo muito!) interessante e cativante. É muito difícil haver um filme que consiga prender a minha atenção do princípio ao fim e quando tal sucede é porque o argumento dito é de excelência. O argumento de “Tron” é tudo menos complexo, facto que o torna deveras apetecível para o comum dos cinéfilos. Claro que aqui e acolá o argumento deste “Tron” poderá ser acusado de previsível, mas a quantidade bem doseada de emoção que Steven Lisberger colocou nesta sua produção torna-o num dos melhores filmes do género tendo em consideração as óbvias limitações tecnológicas da altura.

 

Já o elenco deixou-me um tudo ou nada desiludido. Quer dizer, a equipa escolhida pelo Realizador de “Tron” podia, na altura, até ser do melhor que havia no mercado mas mesmo tendo este importante pormenor em consideração tenho de ser honesto e dizer que não gostei do trabalho de nenhum dos actores e actrizes. Talvez tal seja assim pelo facto de eu estar estar um tudo ou nada mal habituado ao desempenho dos elencos dos nossos tempos, e se for este o caso ficam, desde já, as minhas desculpas a Jeff Bridges, Bruce Boxleitner e David Warner. E já agora, uma última nota para aqui dizer que um filme de qualidade não tem de ter um elenco muito grande. “Tron” é um bom exemplo disto mesmo.

 

E desta vez vou abster-me de opinar sobre os cenários, efeitos especiais e banda sonora. Qual o motivo de tal? Simples, “Tron” é uma produção cinematográfica de 1982 e estamos em 2018. É um tudo ou nada complicado tecer uma opinião séria e justa sobre tais aspectos quando já se passaram 38 anos desde a produção de “Tron”.

 

Em suma; “Tron” de Steven Lisberger tem a minha recomendação. Vale mesmo a pena recordar este filma da “velha guarda”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:41


Cantinho Calvin & Hobbes (12)

por Pedro Silva, em 21.03.18

calvin&harodotira12.gif

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:04


AVP2: Aliens vs. Predador 2

por Pedro Silva, em 25.06.17

sad.jpg 

AcçãoTerrorFicção Científica - (2007) "Aliens vs Predator: Requiem"

Realizador: Colin Strause, Greg Strause

Elenco: Reiko Aylesworth, Steven Pasquale, Shareeka Epps

 

Sinopse: Gunnison, uma pequena cidade localizada nas montanhas da área central do Colorado. Uma nave dos predatores aterrisa no local, mas os aliens que estavam escondidos nela conseguem matar a todos, com exceção de um. Para sobreviver ele precisará destruir todos os aliens remanescentes. Mas em meio a esta guerra há os humanos, residentes da pequena Gunnison, que assistem a esta batalha como vítimas e espectadores.

 

Critica: Há filmes que tem um argumento fantástico e que embora sendo uma sequela, tem tudo para serem excelentes pois não desvirtuam em nada a história que lhes deu origem. Contudo por uma razão meramente economicista (presumo), pecam num importante aspecto: filmagem. Por causa disto perdem todo e qualquer tipo de interesse sendo, inclusive, um suplicio vê-los até ao fim.

 

AVP2: Aliens vs. Predador 2 de Colin Strause e Greg Strause tem um bom argumento. Não está excelente porque a sua história é algo de previsível e não foge muito ao estilo apocalíptico norte-americano de baixa qualidade, mas o facto de os realizadores terem procurado dar seguimento ao filme que deu origem a este AVP2: Aliens vs. Predador 2 faz com que o argumento tenha de ser considerado como, repito, bom. Podia era estar algo melhorado dado que a partir de determinada altura já todos percebemos como vai acabar. A apresentação das personagens também deixa muito a desejar, dado que se fica desde logo a saber qual vais ser o seu destino. O habitual nos filmes apocalípticos norte-americanos de baixa qualidade.

 

O elenco é muito fraquinho. Segue o guião típico dos filmes apocalípticos norte-americanos de baixa qualidade. Neste AVP2: Aliens vs. Predador 2 temos uma série de caras bonitas a contracenar com alguns “mastodontes” alienígenas. Um tremendo retrocesso quando comparado com o primeiro desta saga que (felizmente) é curta.

 

E agora entramos na parte que fere de morte esta produção cinematográfica. Eu bem que gostaria de dizer alguma coisa sobre os cenários e efeitos especiais, mas é-me de todo impossível fazer tal coisa dado que a dupla de Realizadores se esqueceu - presumo - de pagar a conta da luz. O filme começa escuro, mais tarde clareia um pouco para depois entrar numa espécie de noite ab eternum onde vamos tendo a sorte de só conseguir ver (e mal) as caras dos protagonistas. Tudo o resto são sombras e banda sonora. Mai demais…

 

Em suma, AVP2: Aliens vs. Predador 2 tem a minha recomendação para os fãs da curta saga. Para quem não o for aconselho a que veja o primeiro e fique por aí dado que não vale a pena o esforço.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:24


Mais sobre mim

foto do autor


gatices


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Janeiro 2021

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Publicidade


Futebol Clube do Porto

<<

Dios falleció (RIP 25/11/2020)

<<


No a l'opressió d'Espanya!


Catalunya lliure!


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D