Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



De trambolhão em trambolhão

por Pedro Silva, em 10.11.20

imagem crónica RS.jpg

Muito raramente me debruço e reflicto sobre a política em Portugal. Não gosto de o fazer porque as mentes por cá são tal e qual aquelas velhas máquinas a carvão do século XIX. O pensamento crítico e saudável em Portugal /especialmente na política) demora muito a reagir. E quando reage já é tarde demais. Em Portugal, talvez por uma questão cultural, é muito mais fácil seguir a linha de pensamento dominante (ao estilo bisonte) ao invés de se olhar para o que está realmente mal em vez de se discutir o fútil e se alinhar nis discursos fáceis e falaciosos que ditam Leis nas chamadas redes sociais.

Contudo o actual momento que todos estamos a viver exige uma reflexão. Já não digo chamada de atenção, pois já há muito que venho dizendo aqui e acolá que isso ia acabar assim e - surpresa ou não – “a procissão ainda vai no adro”.

Em pleno verão, à beira mal plantado com o seu guarda-sol a saborear um rico dia de sol e calor ninguém com poderes de comando no nosso Portugal (mesmo os eleitos democraticamente) tiveram “dois dedos de testa” e meia dúzia de sensatez para preparar o que estamos a passar.

Nada disto. Essa coisa das mortes, das decisões atabalhoadas tomadas em cima dos joelhos, do desespero face ao número crescente de infectados com Covid-19, da ruptura dos serviços de urgência médica e outras coisas tais eram (e pelos vistos continuam a ser) um exclusivo do dito “Terceiro Mundo” e “cowboyadas” made in Donald Trump. Por altura do verão, por cá estava tudo na Paz do Senhor, o turismo era outra vez a “galinha dos ovos de ouro”, havia que respeitar as vontades de quem tem Fé e vontade de ir em peregrinação a Fátima e a Festas ditas vulgos Comícios partidários e, inclusive, a Fórmula 1 estava de volta a Portugal para também ajudar a “alavancar a dita galinha”.

Portanto, nesta altura só mesmo os tolinhos e os chatos do costume que só “falam, falam, e falam, mas não dizem nada de jeito” é que vinham chamando à atenção de que o perigo de uma segunda vaga de Covid-19 poderia ser uma realidade. O mesmo tipo de lógica se aplicava, sem apelo nem agravo, ás desgraçadas e desgraçados que ousavam chamar à atenção para a exploração barata, mafiosa e recorrente nos Lares de Idosos que exploravam (e exploram) utentes em troca de condições de Vida miseráveis e onde não era surpresa nenhuma a pandemia ser Rainha e Senhora. A mesma chapada levaram, levam e levarão todos aqueles e aquelas que dizem que os Hospitais públicos, completamente descontextualizados da realidade actual, tem falta de pessoal e de meios. E aí de quem ousasse chamar à atenção para locais de trabalho onde a higiene é uma miragem e os distanciamento social uma espécie de “palavrão malcriadão”.

A verdade oficial, essa que tem de ser repetida por tudo e por todos, é que ninguém estava à espera que a segunda vaga da doença viesse tão cedo.

Os disparates ditos pela Sra. Directora da Direcção Geral de Saúde (vulga DGS), a falta de estratégia nacional para se fazer face à pandemia, os surtos de Covid nas escolas públicas que há décadas tem uma falta gritante de meios e de pessoal, a política da máscara na rua e nos espaços fechados por si só que cria uma falsa sensação de segurança, o recolher obrigatório nocturno e nos próximos dois fim de semanas quando os maiores focos de Covid se encontram nos ambientes familiares, as multidões forçadas nos transportes públicos que são escassos para dar uma resposta segura e eficaz ao número de utentes, a recente declaração de estado de emergência que “atropela” a nossa Constituição porque tudo indicia que não vai ter fim à vista (entre outras coisas) e por aí adiante fazem parte de um dictat que até aqui era apelidado de “negacionista”.

Agora já está tudo a mudar para o “a culpa é tua”…. Amanhã já será outra coisa e assim vai de trambolhão em trambolhão até ao trambolhão final.

Agora já todos percebem porquê razão eu prefiro mil vezes reflectir e opinar sobre política internacional?

E já agora. Está tudo muito feliz com a derrota de Donald Trump mas esquecem-se que o dito “trumpismo” não se vai pagar com a saída de Trump da Casa Branca. E esperem para ver o que o “moderado” Joe Biden vai fazer… Coisa boa não vai ser até porque já dizia um amigo meu quando se deu o pontapé de saía das eleições norte americanas: “vai começar a escolha entre um homem mau e outro menos mau. Tragam as pipocas”.

Artigo publicado no sitee Repórter Sombra (10/11/2020)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30


SMS da semana

por Pedro Silva, em 04.11.20

A2C99608-CDFF-47BA-88E3-21C09C331DA5.JPG

O cartoon até que pode ter a sua piada, mas esse é o retrato mais fiel do Presidente de um país que hoje já mostrou (e por mais do que uma vez) que não percebe absolutamente nada do sistema eleitoral do país que supostamente governa.

E o mais engraçado é que com jeitinho vai ser reeleito pelos seus eleitores.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:56


SMS da semana

por Pedro Silva, em 12.10.20

Donald Trump.png

Retirado de SAPO 24

Quem tem por hábito ler o que por aqui escrevo jã prercebeu que não me dou lá muito bem com os "States".

Contudo, simpatia e antpatia à parte, custa-me mesmo muito entender a razão pela qual Donald Trump  foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:38


SMS da semana

por Pedro Silva, em 09.10.20

SMS da semana 09-10-20.png

in: Notícias ao Minuto

Citando o falecido Fernando Pessa... E esta, hein?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:11


Fosse de esquerda…

por Pedro Silva, em 02.06.20

imagem crónica RS.jpeg

Confesso que já há muito deixei de me surpreender com a forma como a hipocrisia reina no Mundo actual. Contudo não consigo deixar de olhar com espanto para forma como tudo se faz e tudo se transforma quando o actor/actriz político é oriundo da esquerda ou da direita.

Tomemos como exemplo o que se está passar no Brasil. O actual Presidente da República Federativa do Brasil, Jair Bolsonaro, foi eleito num acto eleitoral democrático após um processo de impeachment que bisou, pura e simplesmente, afastar Dilma Roussef do Poder sem que contra essa fosse provada qualquer um dos fundamentos do dito processo. Dilma foi, tão-somente, culpada de ter a confiança política de Lula da Silva, antigo Presidente do Brasil que luta na Justiça por uma suposta presunção de inocência que não a deveria ser – nunca – colocada em causa num Mundo que se diz democrático como o nosso.

O processo de impeachment de Dilma mereceu o apoio de quase todos os membros do tal Mundo democrático. Muitas foram as pressões, investigações jornalísticas e outras coisas tais sonre Lula da silva que enfraqueceram Dilma ao ponto de esta não ter outra opção senão entregar-se a um esquecimento cruel porque, repito, não houve motivo nem justificação legal alguma que justificasse o seu afastamento. O maior erro de Dilma terá sido, a meu ver, o não embarcar no famoso plano de revitalização da economia. O tal plano que as potências do nosso Mundo tanto gostam dado que os tais processos de privatização lhes dão acesso a sectores vitais da economia de um país tendo, para tal, de pagar uma quantia irrisória.

Com a chegada de Bolsonaro ao Poder, poucos foram os que quiseram ver o óbvio.

É sempre preocupante quando um político democraticamente eleito se rodeia de militares e os coloca a liderar ministérios chave. A actual guerra aberta entre Bolsonaro e o principio da separação de poderes por causa de uma investigação federal da qual é alvo, é a justificação principal de tal estratégia…

Nada que não se soubesse, à partida que ia acontecer, mas como Jair não é de Esquerda, é encolher os ombros e deixar andar até porque isto é lá com os brasileiros. Já se Bolsonaro e a sua quadrilha fossem oriundos da Esquerda despesista, bandida, reacionária e tudo mais…

Uma nota final sobre o que está a suceder nos Estados Unidos da América.

Quem tem por hábito ler o que aqui escrevo sabe muito bem que não simpatizo com os norte-americanos.. Especialmente porque ao fim de séculos e de um guerra civil que dividiu o país em dois, estes ainda não s livraram desta coisa terrível que se chama racismo.

Contudo nada, mas mesmo nada, justificam os actos de violência e de pilhagem que os manifestantes tem levado a cabo e muitos Estados. É que de parvo, violento e ignorante já chega Donald Trump e quem o apoia.

E mais não digo…

Artigo publicado no site Repórter Sombra

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30


Mais sobre mim

foto do autor


gatices


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Novembro 2020

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Publicidade


Futebol Clube do Porto

<<

Dios falleció (RIP 25/11/2020)

<<


No a l'opressió d'Espanya!


Catalunya lliure!


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D