Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Gangsters da Velha Guarda

por Pedro Silva, em 05.08.18

stand-up-guys-poster.jpeg 

"Stand Up Guys"

CrimeThriller - (2012)

Realizador: Fisher Stevens

Elenco: Al Pacino, Christopher Walken, Alan Arkin, Julianna Margulies

 

Sinopse: Val é um "gangster" da velha guarda acabado de sair da prisão após cumprir uma pena de quase três décadas. Doc, seu melhor amigo e velho companheiro de andanças, foi buscá-lo ao presídio e decide levá-lo para a noite, onde poderá saborear a liberdade recém-conquistada. A cumplicidade entre ambos mantém-se forte, e os dois acabam a reflectir sobre antigos elos de fidelidade e os dias de glória do passado.

 

Critica: Filmes de qualidade não – mesmo! – de ser complicados. E muito menos carregados de elenco e durar para ciam de um bom par de horas. Filmes de qualidade são aqueles que com pouco conseguem satisfazer, ao máximo, a nossa aposta na visualização de uma obra cinematográfica. Cinema é, acima de tudo, entretenimento. A arte vem depois. Muito depois. Este “Gangsters da Velha Guarda” do Realizador Fisher Stevens é um bom exemplo de tal. Trata-se de uma produção agradável e capaz de nos “prender” a atenção desde o seu início até ao seu término. Tudo graças a um número muito reduzido no que ao elenco diz respeito e a uma história simples (muito simples) que de tão bem produzida e pensada que está consegue cativar o gosto de qualquer um(a).

 

O argumento de “Gangsters da Velha Guarda” é simplesmente delicioso. Simplista. Muito simplista mas riquíssimo em emoções. Fisher Stevens teve aqui um trabalho tremendo em termo de qualidade. São poucas as vezes em que assisto a um filme com um argumento tão simplista e chego ao seu final extramente satisfeito. Este argumento tem um pouco de tudo, mas a parte cómica e o enredo são, para mim, as suas melhores partes. É sempre um prazer assistir a este tipo de cinema.

 

Al Pacino, Christopher Walken, Alan Arkin, Julianna Margulies é um elenco que dispensa apresentações. Não me apraz dizer outra coisa senão bravo a plenos pulmões. Um agradecimento especial a Al Pacino que demonstrou que o famoso provérbio de que velhos são os trapos é, de facto, uma tremenda realidade.

 

Quanto aos cenários, Fisher Stevens dá aqui uma tremenda lição aos seus colegas. É que é perfeitamente possível fazer-se um filme que se desenrola quase todo de noite para que o espectador perceba o que se está a passar! Afinal sempre há esperança para a malta de Hollywood! Agora falta é esta querer aprender alguma coisa…

 

Em suma; “Gangsters da Velha Guarda” tem a minha profunda recomendação. Assistam ao dito que eu garanto que não se vão arrepender!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:54


Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro

por Pedro Silva, em 22.04.18

tropa_de_elite_two_o_inimigo_agora_e_outro_ver2.jp 

"Elite Squad: The Enemy Within"

BrasileiroCrimeAcção - (2010)

Realizador: José Padilha

Elenco: Wagner Moura, Irandhir Santos, André Ramiro, Milhem Cortaz

 

Sinopse: Nascimento (Wagner Moura), agora coronel, foi afastado do BOPE por conta de uma mal sucedida operação. Desta forma, ele vai parar na inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Contudo, ele descobre que o sistema que tanto combate é mais podre do que imagina e que o buraco é bem mais embaixo.

 

Critica: Longe de estar tão brilhante como seu antecessor, este “Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro” é uma produção que merece - e deve – ser vista dada a qualidade do seu elenco não obstante a sua história já não “prender” tanto a nossa atenção.

 

Confesso que gostei muito mais do argumento do primeiro Tropa de Elite. Neste “Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro” a mensagem é (muito) mais política e tal retira um pouco o interesse da história porque esta praticamente se dilui no tremendo emaranhado que é o “circo de feras” que governa e pretende governar o Brasil. Claro que a questão social do país está presente, mas o facto de ser ter colocado de parte uma boa parte da base do problema social que atormenta o Brasil retirou muito do interesse que um argumento altamente político não pode – nunca – ter. Para mais a forma como tudo termina deixa muito a desejar. Não admira, portanto, que não tenha sido feita mais uma sequela da saga.

 

Já o elenco volta a estar brilhante. Especialmente Wagner Moura que levou a cabo mais uma excelente interpretação. Irandhir Santos não lhe ficou nada atrás e fez, também ele, aquilo que se me apetece apelidar de “papelaço”. André Ramiro e Milhem Cortaz também não estiveram nada mal. Especialmente o André que soube manter a sua personagem. Alias, penso ser raro que um actor ou actriz brasileira trabalhe mal.

 

A Banda Sonora e os cenários também não são lá grande coisa. `*e o problema de se fazer um filme com uma forte mensagem política. Este “circuito fechado” que José Padilha resolveu “montar” neste seu “Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro” retira muito do potencial que este filme poderia ter. È uma pena que assim seja até porque os cenários estão muito bem filmados.

 

Em suma, “Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro” tem a minha recomendação embora este esteja longe de ser brilhante.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:17


Tropa de Elite

por Pedro Silva, em 01.04.18

Tropa-de-elite-.jpg

 "Elite Squad"

CrimeAcção - (2008)

Realizador: José Padilha

Elenco: Wagner Moura, André Ramiro, Caio Junqueira, Milhem Cortaz

 

Sinopse: 1997. O dia-a-dia do grupo de policias e de um capitão do BOPE (Wagner Moura), que quer deixar a corporação e tenta encontrar um substituto para o seu posto. Paralelamente dois amigos de infância se tornam policias e destacam-se pela honestidade e honra ao realizar suas funções, indignando-se com a corrupção existente no batalhão em que atuam.

 

Critica: É verdade que este filme já tem uns “anitos”, mas é também verdade que gosto mesmo muito deste tipo de cinema. Por vezes faz bem ao meu espirito ver algo que é um traço, mesmo que obrigatoriamente exagerado em certos aspectos, da realidade e este “tropa de Elite” de José Padilha faz tal com uma perfeição que faz inveja a muito dos Realizadores norte-americanos.

 

Em termos de argumento, “Tropa de Elite” está excelente. Nesta produção brasileira somos brindados com um pouco de tudo sem nunca se perder o foco central da mensagem que o seu Realizador pretende passar. É praticamente im0posível não se +perder a atenção e interesse por tudo o que se vai passando. É verdade que aqui e acolá José Padilha “carrega com força” na ficção e dramatismo, mas este “carregar com força” acaba pro se revelar uma decisão acertadíssima dado que reforça ainda mais o interesse do espectador pelo que se vai passando.

 

O elenco está, também ele, recheado de uma qualidade fora de série. É difícil encontrar-se actor ou actriz no Brasil que trabalhe mal (não é por mero acaso que as suas novelas são das mais famosas do Mundo). Sou da opinião de que muito do sucesso deste “tropa de Elite” passa pelo seu maravilhoso elenco.

 

A banda sonora não desilude e até que “fica no ouvido”. Já os cenários deixam um tudo ou nada a desejar. Acredito que José Padilha não quis massacrar ainda mais um Brasil que já sofre imenso com o problema das favelas e da pobreza extrema, pelo que se compreende que o José tenha preferido optar por cenários mais ou menos bem filmados e escassos, mas se este tivesse sido um pouco mais ousado neste aspecto penso que não se teria perdido nada.

 

Em suma, “Tropa de Elite” tem a minha alta recomendação!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:30


Lucky

por Pedro Silva, em 12.11.17

MV5BNjk3YTM5OTQtYzY5ZS00Y2EwLTgyZDUtNDU1OTlmMjFkZj 

"Lucky"

AcçãoCrimeDrama - (2017)

Realizador: Bari Kang

Elenco: Galla Borowski, Bari Kang, Andrea Kelly

 

Sinopse: Lucky, um imigrante sem documentos, luta para viver em Nova York, mas encontra-se preso numa rede de crime e assassinato, forçando-o a tomar medidas extremas.

 

Critica: “Lucky” é um “filmezito” para uma “historiazita”. Interessante dado que procura mostrar a outra América, mas ao mesmo tempo chato q.b.. Ninguém é assim tão “santinho” nem a sociedade norte-americana é assim tão “preto e branco”. Para mais existem filmes do género nem mais trabalhados e interessantes do que este bem filmado “Lucky”.

 

“Lucky” tem um argumento de peça de teatro. Interessante mas chatito e, em certos momentos, algo limitado. Este chega até a ser pouco ou nada original dado que difícil é a meio do filme não se perceber como vai tudo terminar. Apesar de tudo Bari Kang conseguiu fazer o que pretendia que era a crítica feroz à sociedade norte-americana se bem que não me pareça que tudo seja assim tão linear. Daí eu ter dito que este é um argumento de teatro.

 

No elenco confesso que gostei do trabalho do actor/realizador Bari Kang. Exagerou na parte da bondade, é um facto, mas conseguiu transmitir todos os sentimentos que assolam um ser humano que não é bem-vindo ao sonho americano. Sobre Galla Borowski pouco ou nada há a dizer dado que esta quase não passa de um personagem terciária deste “filmezito” de Bari Kang. Repito, não é por acaso que digo que este filme mais parece uma peça de teatro.

 

Os cenários, embora pouco diversos, estão muito bem filmados. É muito por isto que este acaba pro ser um filme agradável de se ver dado que é muito pelos cenários que vemos a América que quase ninguém conhece. Obviamente que a banda sonora também dá a sua preciosa ajuda nesta missão.

 

Em suma; “Lucky” preenche bem o vazio que existe no mundo do cinema nesta altura do campeonato. Tem a minha recomendação embora dentro do género já tenha visto produções cinematográficas bem melhores e mais interessantes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:55


Bons Rapazes

por Pedro Silva, em 09.08.16

290250_pt.jpg

AcçãoComédiaCrime - (2016) "The Nice Guys"

Realizador: Shane Black 

Elenco: Russell Crowe, Ryan Gosling, Angourie Rice, Matt Bomer

 

Sinopse: BONS RAPAZES decorre na Los Angeles de 1970, onde o azarado e pouco competente detetive particular Holland March é obrigado a trabalhar com Jackson Healy, um rufia a contrato que resolve os seus trabalhos à força, na resolução do caso de uma rapariga desaparecida e da morte aparentemente não relacionada de uma estrela porno. Só que durante a investigação eles acabam por descobrir uma conspiração que atinge os mais altos círculos do poder.

 

Critica: Confesso que não sou um grande admirador de comédias. Contudo quando uma comédia é feita como deve ser (sem palhaçadas) e com uma história que fala sentido eu até que acabo pro gostar da dita. Foi o que aconteceu com este “Bons Rapazes” da autoria do Realizador Shane Black. Foi um imenso prazer ter visto esta sua obra dado que a dita me arrancou umas boas gargalhadas. Para mais este filme prendeu a minha atenção desde o princípio ao fim (coisa rara nas comédias, diga-se de passagem).

 

O que mais gostei deste “Bons Rapazes” foi do seu fabuloso argumento. Super interessante e com um sentido extraordinário. Shane Black mostrou ao mundo do cinema que é possível fazer-se uma comédia sem se entrar no campo do ridículo. A história que nos vai sendo contada é simplesmente genial. Trechos muito bem explorados e a forma como tudo se desenrola está ao nível das grandes produções de Hollywood. Parabéns Shane Black.

 

Quanto ao elenco não tenho um único dedo a apontar aos actores e atrizes que contracenaram. Todos estiveram geniais se bem que Russell Crowe se destacou dos demais dado que levou a cabo um trabalho – no mínimo - excelente. Também adorei o precioso trabalho de Angourie Rice. A miúda tem mesmo um potencial enorme como actriz.

 

De destacar pela positiva temos os cenários que estão muito bem explorados e filmados. Para mais falamos de cenários perfeitamente adequados à história que nos vai sendo contada. O mesmo d a banda sonora que, na minha modesta opinião, é das melhores que já ouvi em cinema.

 

Em jeito de conclusão; “Bons Rapazes” tem a minha clara recomendação e admiração!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:29


Mais sobre mim

foto do autor


gatices


gatos no telhado


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Futebol Clube do Porto


9 de Março de 1916

<<Por cada soldado, uma papoila

No a l'opressió d'Espanya!


Catalunya lliure!


Portugal é uma Democracia

13769388_930276537084514_2206584325834026150_n

Publicidade


Blog Rasurando

logo.jpg



subscrever feeds


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D