Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Vencer é sempre o mais importante

por Pedro Silva, em 02.11.16

imgS620I183666T20161102214242.jpg 

imagem retirada de zerozero

 

3 pontos, acesso à Liga Europa assegurado, 2.º lugar do grupo conquistado e sérias possibilidades de terminar esta fase na primeira posição. Nada mau para um Futebol Clube do Porto que hoje soube ser pragmático (com tudo o que de mau e bom tal possa significar). Digam o que disserem, prefiro mil vezes vencer desta forma do que andar a festejar derrotas e a dissecar vitórias morais como os “comentadores” tem feito em quase todos os jogos do Sporting Clube de Portugal na actual edição da Liga dos Campeões.

 

Nuno Espírito Santo (NES) promoveu hoje uma das duas alterações que considero serem fundamentais para a melhoria do actual estado do FC Porto. Bem sei que o sistema de jogo que NES tem procurado implementar exige que os seus defesas laterais sejam muito ofensivos (é por eles que passa quase todo o jogo ofensivo da equipa), mas há que manter um certo equilíbrio na linha defensiva que com dois laterais muito ofensivos não é possível. Para mais Layún já vinha demonstrando que não estava a ser muito feliz na hora de defender… Maxi pode não atacar tão bem como Layún, mas tê-lo colocado no onze inicial foi um importante upgrade para a defesa portista e hoje bem que deu jeito este upgrade.

 

Ainda sobre a defesa do FC Porto há que dizer que Iker Casillas esteve “enorme” na baliza. Tenho criticado Iker pelo facto de este revelar alguma fraqueza nas bolas pelo ar, mas a verdade seja dita que o guardião espanhol tem vindo a melhorar este aspecto. Ora se juntarmos isto ao facto de Casillas ser - hoje em dia - um dos melhores do mundo entre postes eis que temos um “muro” na baliza portista que é quase intransponível. Vamos a ver se Iker mantêm este excelente desempenho ou se estamos somente perante mais um “fogacho”.

 

Mas nem tudo correu pelo melhor.

 

É verdade que a defesa esteve muito bem, já o ataque esteve muito mal. A “máquina” ofensiva azul e branca demora muito a entrar em campo e para isto muito contribui um meio campo que joga muito recuado e com menos um (Héctor Herrera). Não sei o que se passa com André André, mas não percebo porque tem Óliver de fazer tudo e mais alguma coisa no meio campo dado que não pode contar com Danilo Pereira porque este está (incompreensivelmente) recuado a recuperar bolas. Se Oliver tivesse estado hoje como esteve em Setúbal e se calhar não estaria aqui a dissecar uma vitória. Apesar de tudo saúda-se a tentativa de regressar ao futebol de transições rápidas em detrimento do “passeia a bola devagar, devagarinho por todo o campo” mas é ainda notório o longo caminho que o Futebol Clube do Porto tem de percorrer até poder apre4senta5r um contra ataque mortífero. Há ainda que limar muitas arestas para que não tenhamos um ou dois jogadores do FC Porto completamente sós contra quatro ou cinco atletas da equipa adversária.

 

E já que estamos a falar do “menos bom” desta partida, que ideia é esta de querer sair com a bola dominada desde a baliza quando se tem os médios e avançados do Brugge a pressionar e não existem linhas de passe? Pois é Danilo e Iker. Pois é…

 

Chave do Jogo: Dizer que este jogo teve um lance que o decidiu a favor de uma das equipas é – a meu ver - “forçar a barra”, mas acho que a grande defesa de Iker no minuto 85 fez com que o FC Porto despertasse de uma inexplicável sonolência que lhe poderia ter custado os três pontos.

 

Arbitragem: Undiano Mallenco e a sua equipa de arbitragem estiveram mal neste jogo.  Undiano Mallenco foi deficiente na condução da partida e hesitante nas decisões. Decidiu mal dois lances capitais nas duas áreas: primeiro, numa mão de Otávio e depois numa obstrução a André Silva.

 

Positivo: Marcano. Mais uma grande exibição do central espanhol. Comandou muito bem a defesa portista e esteve sempre muito “certinho” na hora de cortar os lances de perigo da equipa belga.

 

Negativo: Héctor Herrera. Herrera é um bom moço, trabalha e esforça-se em prol da equipa mas não dá mais do que isto. Passes errados e disparates atrás de disparates. Porquê a insistência NES?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:23


Começa a ser um hábito

por Pedro Silva, em 18.10.16

imgS620I182850T20161018223433.jpg 

imagem retirada de zerozero

 

Efectivamente começa a ser um triste hábito. Todo o portista tem de sofrer e sofrer para ver o Futebol Clube do Porto derrotar uma equipa que em Portugal estaria a lutar para não descer ao segundo escalão do nosso futebol.

 

Mau demais para ser verdade. E o problema é do costume: defesa. Defesa que, sendo justo e honesto, tem sido certinha no que a cometer disparates diz respeito. Haja ao menos alguma coisa em que a linha defensiva dos Dragões é competente e capaz. Hoje - como não podia deixar de ser – disparate pegado na altura do golo dos belgas…

 

Ainda estou a tentar perceber como é que com tantos gajos vestidos de amarelo e azul (o FC Porto jogou de amarelo e azul), Jelle Vossen tem tempo de aproveitar um ressalto de bola para - com todo o espaço e tempo do mundo - fazer o golo do Brugge. Pelos vistos os defesas do Futebol Clube do Porto não sabem o que é pressionar o portador da bola e o sempre útil “bola para o mato quando a coisa aperta”. Pelo meio ainda houve tempo para Iker Casillas ter dado mais um dos seus fabulosos shows sempre que a bola vinha pelo ar.

 

Portanto não posso aqui dizer que fiquei satisfeito com a vitória do FC Porto em Brugge. Fico descansado com o resultado final dado que este permite aos azuis e brancos lutar pelo segundo lugar do grupo da Champions, mas estou longe de ficar satisfeito.

 

Eu sei que por esta altura já deve haver muita gente a abanar a cabeça em forma de reprovação, mas não posso ficar say9osgeito com um FC Porto que entra em campo com menos um jogador (Héctor Herrera é sempre uma menos valia) e cujo treinador que necessita de uma parte meia para perceber que contra equipas de gajos fortes, broncos e de pouca técnica de nada serve fazer dos defesas laterais os extremos de uma equipa que em 4x4x2 se vê obrigada a jogar pelo meio do campo passando a maior parte do tempo a atirar a bola contra uma parede humana. Tal forma de estar em campo pode dar resultados por cá no nosso pequeno burgo, mas lá fora tal não serve. Os jogos diante do Copenhaga, Leicester e Brugge já o demonstraram… Cabe agora a Nuno Espírito Santo (NES) mostrar que percebeu o recado.

 

Chave do Jogo: “Entradas de Corona e Brahimi. O FC Porto passou a explorar melhor os corredores laterais e baralhou as marcações do Brugge.” Opinião de  José Bragança, jornalista do site zerozero, com a qual estou inteiramente de acordo.

 

Arbitragem: Paolo Tagliavento e a sua equipa de arbitragem levaram a cabo uma arbitragem normal, quase isenta de erros, tendo ajuizado bem o lance que deu origem à grande penalidade a favor do Futebol Clube do Porto.

 

Positivo: Otávio e Jesús Corona. Mais uma vez Otávio mostrou qualidade a rodos. Foi o único a “remar contra a maré” quando o FC Porto se apanhou a perder. Jesús Corona entrou, também mais uma vez, muito bem em campo e acabou por ser o principal responsável pela vitória portista na Bélgica.

 

Negativo: Nuno Espírito Santo (NES). É verdade que foi pela mão de NES que os Dragões deram a reviravolta no marcador, mas é também verdade que é por culpa do Treinador que muitos dos evidentes problemas do FC Porto se mantêm. Há que melhorar Nuno e rapidamente porque o tempo urge e os momentos decisivos estão-se a aproximar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:48


Mais sobre mim

foto do autor


gatices


gatos no telhado


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Futebol Clube do Porto


9 de Março de 1916

<<Por cada soldado, uma papoila

No a l'opressió d'Espanya!


Catalunya lliure!


Portugal é uma Democracia

13769388_930276537084514_2206584325834026150_n

Publicidade


Blog Rasurando

logo.jpg




Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D