Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Das alternativas e da falta delas

por Pedro Silva, em 09.06.14
Li o texto de JJ do Blog CLUBE PENSADORES JOAQUIM JORGE que esteve em destaque no Portal SAPO e fiquei na retina com esta frase que resolvi recortar e destacar:
Podia ter comentado a dita no Blog em questão, mas iria contra o que o tema em análise e para mais no geral estou de acordo com o que o JJ escreveu.

 

O que pretendo trazer a lume é a questão das alternativas.

 

È certo e sabido que já estamos todos fartos dos actuais Políticos e dos seus Partidos. A saturação prende-se principalmente com os Partidos do dito “arco de governação” (PS e PSD e eventuais Coligações de Direita). O Povo está cansado mas que alternativas têm este à sua disposição? Ora vejamos:

 

O Partido Comunista Português não foi feito para alguma vez formar Governo numa Democracia. Na sua génese impera o tem de ser e o tens de fazer e ponto. Para mais a ideologia Comunista sofreu de tal forma tantas alterações e abalos que já nada tem a ver com aquilo que Marx idealizou. O PCP (aka CDU, Coligação PCP e Partido Os Verdes) apenas sobrevive em Portugal devido ao seu nobre e grandioso contributo na luta contra a Ditadura Salazarista. Não é portanto, a meu ver, uma alternativa séria, sólida e credível.

 

Temos depois o Bloco de Esquerda. Nascido da fusão de vários Partidos “pequenos” de Esquerda. O Bloco emergiu na cena política nacional como um Partido revolucionário, contestatário e com uma visão renovada do Socialismo. Esteve em crescendo até ter sido tomado de assalto por uma facção que eu chamo de “Esquerda Caviar” misturada com Anarquistas e outros utópicos fanáticos que atiraram com o Partido para um buraco de onde dificilmente sairá.

 

Restam os pequenos Partidos e os Independentes.

 

Para um Partido pequeno como o MPT (Movimento Partido da Terra) por exemplo ter uma pequena hipótese de vencer uma eleição tem de recorrer a um aram a muito perigosa que é o populismo. A eleição de Marinho Pinto para o Parlamento Europeu através deste Partido é um bom exemplo disto mesmo. De outra forma o MPT nunca teria conseguido que os Portugueses soubessem que existe.

 

Tempor por último os Independentes. Contudo estes de independentes têm muito pouco por força das circunstâncias. Senão vejamos; para se participar numa campanha eleitoral é preciso, entre muitas outras coisas, muito dinheiro e este por norma este é doado ao independente na expectativa de poder obter uma vantagem no futuro. Mas a recolha de fundos por norma não é suficiente pois é sempre necessária uma enorme máquina de propaganda para se vencer uma qualquer eleição e como tal o candidato independente tem de se apoiar num Partido qualquer como foi o caso de Rui Moreira. E se os resultados da eleição não redundarem numa Maioria Absoluta, eis que o independente tem de se coligar para poder governar.

 

Ora isto tudo para dizer que não existem claras e sérias alternativas a PS e PSD.

 

E tal irá ser fatalmente assim até que um dia o Zé Povinho deixe de olhar para o Partido A,B ou C como se fosse o seu Clube de Futebol, mas isto é tema para outras conversas…

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:25


Teimosia & Estupidez Associados

por Pedro Silva, em 03.06.14

O nome da Sociedade que vemos no título é sem sombra de dúvida aquele que melhor assenta e descreve o actual elenco Governativo.

 

Não tenho mais que 35 anos, mas não me lembro de Governo que seja tão cego e autoritário ao ponto de não reconhecer que errou ao ter criado no Orçamento de Estado normas que violam o texto fundamental do País que é a Constituição da República Portuguesa. Neste momento tal parece aquele condutor que atropela um peão em plena passadeira depois de ter passado com o sinal vermelho e insiste que a culpa é do peão mesmo que tal não fique demonstrado em Tribunal.

 

E como um mal nunca vêm só, eis que a cegueira egocêntrica deste Governo é tal que já vamos lendo disparates tais como:

 

os juízes extravasaram as suas competências ao colocar no acórdão que a melhor forma de ultrapassar problemas com o princípio constitucional da igualdade é através de medidas do lado da receita. Impostos, entenda-se.

 

Pois... Isto de se criar uma Sociedade mais igualitária através dos impostos é complicado. Para mais tudo o que seja taxar fortemente o que não seja da Função Pública é um problema porque o “Capital foge”.

 

Pelo que a clarificação pode passar por levar ao Parlamento novas medidas do lado da despesa, ou seja novos cortes que levem o Tribunal a ter de se pronunciar novamente.

 

“É a única forma de haver posição do Tribunal”, diz fonte de um dos partidos da coligação, acrescentando que tem de haver aqui uma “responsabilização colectiva”. Isto é, a maioria governamental quer que o Tribunal diga claramente se pode ou não haver cortes ou se todo o ajustamento tem de ser feito do lado da receita.

 

Isto agora é como os Touros. È ir marrando contra a parede até a dita cair. Um dia vai cair acreditam tais criaturas! E tal poderia ser um problema da exclusividade do nosso Governo, só que nós todos levamos por tabela com tanta marrada.

 

Pode ser que no dia em que os Acórdãos do TC (Tribunal Constitucional) sejam feitos com desenhos para crianças dos 0 aos 6 a grande Equipa Jurídica a que recorrem os Partidos da Coligação perceba alguma coisa daquilo que diz saber perceber e pelo qual cobra bem caro.

 

Outra fonte leva a prova mais longe: o que está em causa é evitar um “terrível impasse” que não permitirá a governação – qualquer governação – no quadro do euro e dos tratados a que Portugal está sujeito. E para evitar esse impasse haverá um “mecanismo institucional” a que a maioria pretende recorrer, mas que por enquanto se recusa revelar.

 

Ora cá faltavam os Tratados! Documentos Sagrados que Países como a Inglaterra, Finlândia, Dinamarca, Áustria, Alemanha, Holanda, França e outros tantos usam como, perdoem-me a rudeza, papel higiénico.

 

Por exemplo; há um Tratado da UE que não permite a criação de Paraísos Fiscais na Zona EURO e o que são a Holanda e Áustria? Paraísos Fiscais!

 

E que fez a Dinamarca ao Tratado de Livre Circulação de Pessoas e Mercadorias há uns anos atrás? Atirou-o para o contentor de lixo mais próximo e fez “renascer” as suas fronteiras ora pois!

 

Efectivamente os Tratados são mesmo Escritos Sagrados que devem ser cumpridos à risca senão aparece o Papão, o Drácula, o Lobisomem, o Hitler, o Mussolini, o Estaline e o Diabo por esta ordem tal como estabelecem os Tratados!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:35


Mesmo de propósito

por Pedro Silva, em 22.05.14

In: A Criada Malcriada

 

Algo me diz que a nossa amiga anda a ler o que vou escrevendo por aqui...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:49


Falemos então das Europeias

por Pedro Silva, em 21.05.14

O prometido é devido e eis que vou então deixar aqui a minha opinião sobre as Eleições Europeias. Eleições que são tão importantes como qualquer outra pois votar é um Direito que conquistamos com a Revolução de Abril que implantou a Democracia em Portugal.

 

Tenho seguido com alguma atenção a campanha nacional para as Europeias. E o que constato é que:

 

- A Coligação Aliança Portugal (PSD/CDS-PP) ataca o Partido Socialista e atira farpas ao anterior Governo Sócrates. O Partido Socialista responde aos ataques da Direita coligada e apela ao voto nos seus candidatos como forma de punir o Executivo Passos/Portas. A CDU (Coligação PCP e Os Verdes) cerra fileiras contra o Partido Socialista e apela ao voto como forma de punição do Governo. O Bloco de Esquerda ora ataca a União Europeia, ora manda umas biqueiradas ao Partido Socialista e apela também ao voto como forma de protesto para com as Políticas do actual Executivo.

 

Debate sobre a Europa, o seu futuro e a forma como se propõem combater a Crise e evitar que tal suceda no futuro é tema tabu para os Partidos que tem assento na Assembleia da Republica. Tal debate tem sido feito ainda que timidamente pelos Partidos que não tem assento na AR mas que se candidatam às Europeias.

 

No meio de tudo falta ainda saber o que pensam e o que se propõem a fazer os Candidatos à Presidência da Comissão Europeia. Lembre-se que a força política que vencer as Europeias terá direito a escolher o sucessor de Durão Barroso. Sobre este assunto o Jornalista Daniel Oliveira colocou na sua página do facebook uma questão que me parece de uma pertinência atroz.

Ora perante tamanha balburdia e autêntica corrida ao estatuto, luxo e ostentação que rodeia um Euro Deputado, ficam os analistas Políticos muito admirados e ofendidos com a mais que provável elevadíssima taxa de abstenção. Tal fenómeno indignou de tal forma um conhecido Comentador Político da nossa Praça que até sugeriu que o voto passe a ser obrigatório em vez de criticar a postura pouco honesta e nada ortodoxa como os Partidos na sua generalidade tem lidado com as Eleições para o Parlamento Europeu.

 

E como uma série de males nunca vêm só, eis que o Tratado de Lisboa criou uma tremenda confusão institucional tal que ainda ninguém conseguiu perceber o que realmente faz, pode e deve fazer a Comissão Europeia e o seu Presidente. Uns dizem que é o Homem com mais Poder na Europa, mas na prática o que temos é uma espécie de catavento que gira consoante os ventos sopram para o Norte ou Sul da Europa.

 

Contudo mantenho a minha opinião de que votar é fundamental. Não se servir de um Direito adquirido do Cidadão é abrir a porta á Extrema-Direita/Esquerda, Nacionalismos exacerbados/bacocos e ao Adepto do Partido X que vota neste mesmo quando o seu programa o afecta a si e aos outros que o rodeiam.

 

Ao contrário do que temos sido bombardeados, o voto em branco é também um voto útil. Muito mais útil do que deixar que um grupo de fanáticos decidam por nós para depois andarmos os anos seguintes a reclamar que tudo está mal por culpa de quem nos governa.

 

Agora que cada um meta a mão na sua consciência e reflicta com moderação se vale a pena lutar pela Europa ou se preferem entrega-la a gente que já demonstrou e demonstra por mais que uma vez que não tem aptidão e honestidade alguma para o cargo que pretendem ocupar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00


Os Partidos são Clubes?

por Pedro Silva, em 14.02.14

Este é um tema que há muito queria trazer a debate. Só não o fiz porque não houve calendário nem apetência para o ter feito mais cedo. Contudo a expulsão de António Capucho do PSD reacendeu o meu interesse na velha questão de que hoje em dia os Partidos são Clubes.

 

Nos Partidos Políticos a Militância tem um preço que recebe o nome pomposo de Quota e tal deve estar devidamente regularizada. Pouco importa que a Constituição da República Portuguesa estabeleça, mesmo que em linhas gerais, o Direito á Militância e à livre opinião.

 

Se estás in pagas a Quota e segues o “rebanho” na vã esperança que algum dia te deixem ocupar um lugar de destaque ou não pagas a Quota, mostras-te contra certas posições que o Partido toma e estás out quer queiras ou não.

 

Sinceramente não percebo esta esquemática. Assim como também não percebo porquê razão tal é transversal a todo e qualquer Partido em Portugal.

 

Os Partidos deveriam valorizar aquilo que foi conquistado no 25 de Abril de 1974 e não tomar posições que fazem lembrar o Estado Novo. A Liberdade de Opinião e de Escolha são Direitos Fundamentais de todos. Inclusive do Fundador de um Partido como é o caso de António Capucho.

 

E eu ainda estou para perceber para que raio servem as Quotas. Tais pagamentos fazem todo e qualquer sentido num Clube que se frequente e que pague para tal e para poder utilizar os seus serviços. Já num Partido pagam-se as Quotas para quê? Para quê pagar Quotas quando os Partidos são financiados pela Comissão Nacional de Eleições, Empresas e outras coisas tais?

 

E como hoje temos a nossa habitual e sempre divertida follow Friday, eis que termino esta minha pequena reflexão recomendando o Blog o diário de Domingos Amaral. O seu Autor é Professor de Economia e consegue expor os problemas da nossa Economia, e de todas as outras que nos rodeiam, de uma forma simplista e objectiva. Tem sido um prazer perceber a Crise através deste Blog.

 

p.s.: não me esqueci que hoje é Dia de São Valentim (Dia dos Namorados), contudo sou da opinião que o Dia dos Namorados se celebra todos os dias e não apenas num que é altamente comercializado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:04


Mais sobre mim

foto do autor


gatices


gatos no telhado


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Futebol Clube do Porto


9 de Março de 1916

<<Por cada soldado, uma papoila

No a l'opressió d'Espanya!


Catalunya lliure!


Portugal é uma Democracia

13769388_930276537084514_2206584325834026150_n

Publicidade


Blog Rasurando

logo.jpg




Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D