Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pois é Nuno Espírito Santo. Pois é…

por Pedro Silva, em 06.11.16

image.jpeg 

imagem retirada de ojogo

 

Futebol Clube do Porto 1 x SL Benfica 1. Que dizer sobre este empate que sabe a uma derrota bastante amarga?

 

Primeiro que os azuis e brancos fizeram um jogão! É verdade que o Benfica de Rui Vitória vinha com a clara intenção de jogar para o “pontinho” (típico de equipa pequena), mas também é verdade que o Futebol Clube do Porto tudo fez para que os benfiquistas não pensassem noutra coisa senão no pontinho. Os portistas tiveram o controlo total do jogo durante uma hora e coleccionaram oportunidades atrás de oportunidades de golo. O problema foi que os azuis e brancos não souberam ser eficazes (a “malapata” do costume) e “esbarraram” muitas vezes num guardião de nome Ederson que foi adiando – até ao limite - o golo do FC Porto.

 

Contudo os Dragões lá chegaram ao tento que os colocou em vantagem diante das Águias. E é aqui que entra o segundo ponto desta minha analise dado que foi a partir deste momento que uma qualquer psique - que não sei explicar qual é e muito menos a sua origem - se apossou da mente dos atletas azuis e brancos que pensaram que poderiam gerir esta vantagem até ao fim do jogo. Atente-se que Diogo Jota tinha marcado o golo do FC Porto aos 50 minutos da partida, pelo que faltavam jogar ainda mais 40 minutos e os descontos (uma boa meia hora, portanto) até ao término da partida. Acto insano pensará – e bem - o leitora/a, e também o deve ter pensado Nuno Espírito Santo (NES) que face ao que tinha no seu banco de suplentes jogou as “pedras” que tinha ao seu dispor e aqui chegamos ao terceiro ponto desta minha analise.

 

As “mexidas” de NES no onze portista deixaram a entender que a tal loucura dos jogadores do Futebol Clube do Porto era intencional e que tinha sido – muito provavelmente – ensaiada nos treinos. Rui Vitória ia fazendo o que costuma fazer quando a sua equipa não vai de encontro ao desejado pelo técnico. Já NES perante o que estava a acontecer optou – e em certa medida bem – por tentar reaver o controlo do meio campo, mas esqueceu-se que o meio campo não se resume ao meio campo defensivo da sua equipa… Havia que “esticar” o jogo até aos avançados que estavam sozinhos na frente a lutar contra o mundo e arredores. Eis então que NES tem a brilhantíssima ideia de colocar Héctor Miguel Herrera em campo. Um beltrano mexicano que (citando um amigo meu) com o jogo a acabar ele sem pressão e sem motivo nenhum dá um bico para canto? É que se fosse só hoje... Dos jogadores mais burros que já vi a vestir a camisola do Porto. E ainda lhe dão a braçadeira e dizem que não o venderam por 30 milhões. Rir para não chorar mesmo.

 

Concluindo; não é justo estar a fazer do tal beltrano mexicano a principal razão de um estapafúrdio empate caseiro diante de uma equipa pequenina que no final festejou o dito como se de um feito se tratasse, mas a verdade seja dita que se não fosse a intervenção do tal beltrano mexicano se calhar estaria aqui a dissecar uma magra - mas bem conseguida - vitória do Futebol Clube do Porto diante de uma equipa do nível do Vitória de Setúbal.

 

Com tudo isto o SL Benfica continua na liderança isolada da Liga NOS a 5 pontos de distância e o Futebol Clube do Porto em segundo com cada vez mais adversários “à perna”. Bem sei que ainda falta muito campeonato, mas com as tristes figurinhas como a que vi hoje não sei se vai ser possível conquistar o título esta época. A ver vamos.

 

Chave do Jogo: Apareceu aos 50´ - altura do golo de Digo Jota - para equilibrar uma contenda que estava a ser completamente dominada pelo Futebol Clube do Porto. A partir desta altura os dragões deixaram de dominar o jogo e possibilitaram às águias chegar ao golo do empate.

 

Arbitragem: No Estádio é bem mais complicado seguir a par e passo o trabalho da equipa de arbitragem, mas pelo que vou lendo (no geral) Artur Soares Dias fez uma boa arbitragem, como tal aceito que Artur Soares Dias e os seus Assistentes tenham feito uma boa arbitragem.

 

Positivo: Os 60 minutos de Porto à Porto. Durante uma hora de jogo os azuis e brancos dominaram por completo a partida e impuseram o seu futebol.

 

Negativo: Nuno Espírito Santo. O recuo do FC Porto após o golo não foi inocente. NES tem de perceber que isto não é como treinar o “Circo Lim de Valência”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:28


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.11.2016 às 22:57

Excelente atitude, o resultado não traduz a superioridade do FC Porto, mas no futebol contam as que entrem, para mim as vitórias morais não interessam para nada. A questão é, conseguiram estes atletas manter esta pedalada, atitude e irreverência até ao final da época,se sim tenho a certeza que seremos camelos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.11.2016 às 23:02

Um pequeno ou grande reparo, como óbvio não é "camelos" que quereria dizer mas sim campeões, escrever em modo automático é o que dá!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


gatos no telhado


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Novembro 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Mandela 1918 - 2013


Triste direit(ol)a


Frase do Ano


Portugal é uma Democracia

13769388_930276537084514_2206584325834026150_n

CR7 (Bola de Ouro 2016)


Publicidade




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D